Novo Acordo Ortográfico do Português Brasileiro: O que muda nos termos biomédicos?

Padrão

Em vigência no Brasil desde janeiro de 2013, o novo acordo ortográfico da língua portuguesa ainda gera dúvidas sobre o modo adequado de grafar algumas palavras. Muitas das dúvidas, provavelmente, são decorrentes das inúmeras exceções identificadas no português brasileiro em relação às regras gerais.

Considerando as regras de acentuação gráfica, mais simples, as principais mudanças se deram na remoção ou manutenção de acentos quanto a sua posição nas sílabas tônicas e nos encontros vocálicos. Os quadros abaixo ilustram alguns exemplos do uso ou desuso dos acentos.

Acta Cirurgica Brasileira

Acta Cirurgica Brasileira. Vol 27:7, 2012.

Além das mudanças na acentuação, as alterações na grafia de palavras relacionadas ao uso do hífem estão entre aquelas com maior número de dúvidas. Abaixo descrevemos as principais regras e exemplos de uso na terminologia biomédica (anatômica).

Usa-se o hífen para separar prefixos quando o segundo elemento começa com h

Adeno-hipófise
Mm. infra-hioideos
M. tíreo-hioideo
M. estilo-hioideo
M. milo-hioideo
M. omo-hioideo
M. esterno-hioideo
Anti-histamínico
Recessos supra-hepáticos
Neuro-hipófise

Não se utiliza hífen quando a vogal final do prefixo e a inicial do segundo elemento forem diferentes

Trato corticoespinal
Trato neoespinotalâmico
Neurônio pseudounipolar
Semiespinha nasal
Prega ariepiglótica
Forame infraorbital
Anteroinferior

Sempre a vogal final do prefixo e a inicial do segundo elemento forem iguais, usa-se o hífen

Anti-inflamatório
Micro-organismo
Intra-auricular
Retro-ocular

Quando o prefixo co- justapõe-se ao segundo elemento, não se usa prefixo

Coordenação motora

Não se usa hífen quando o prefixo terminado em vogal e segundo elemento inicia em consoante

Trato espinotalâmico
M. esternotireoideo
M. cricotireoideo
Válvula semilunar
Microcefalia
Antebraço
Arquicerebelo
Semicanal incisivo
Hipotireoidismo
Gordura extraperitoneal
Espaço retroperitoneal
Veia retromandibular
Correlações anatomoclínicas
Laterolateral
Posteromedial
Paratireoide
Aracnoidemáter

Quando o segundo elemento inicia em r ou s, duplicam-se as consoantes

Autorregulação
Macrossistema
Contrarresistência
Hiperssensibilidade
Antirrugas
Glândula suprarrenal
Anterossuperior

Quando o segundo elemento inicia em r com os prefixos hiper, inter e super, usa-se hífen

Hiper-reflexivo

Não se usa hífen quando o segundo elemento não inicia em r nos prefixos hiper, inter e super

Hiperextensão
Hipertensão
Plano interespinal
Plano intertubercular
Prega interuretérica

Usa-se hífen quando o prefixo sub é seguido por b, h ou r

Sub-humano

Nos demais casos, não se usa hífen

Submentual
Submandibular
Subcostal
Subdural
Subaracnoideo
Núcleo subtalâmico

Em compostos com recém, usa-se hífen

Recém-nascido
Recém-formado

Pré- e pós- mantém o uso do hífen, exceto quando não são acentuados:

pré-cúneo, preconceito, predisposição, posfácio

 


Quadro: Pereira TA, Montero EFS. Terminologia DeCS e as novas regras ortográficas da língua portuguesa:  orientações para uma atualização. Acta Cirurgica Brasileira, 27:7, 2012.

 

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s